Afinal, o que é PISA? Conheça o programa internacional de avaliação de alunos

Você sabe o que é PISA? Já ouviu falar no Programa Internacional de Avaliação de Alunos? A avaliação é coordenado pela Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) com o objetivo de avaliar o desempenho dos estudantes.

Aplicado a cada 3 anos para indivíduos na faixa dos 15 anos de idade, abrange as áreas de leitura, matemática e ciência, e seus resultados são transformados em importantes indicadores sobre o ensino nos países onde é praticado.

No Brasil, a aplicação do teste é de responsabilidade do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Anísio Teixeira (INEP). Continue a leitura e tenha acesso a mais informações sobre o programa!

O que é PISA?

O Programa Internacional de Avaliação de Alunos (PISA) é uma avaliação aplicada em vários países do Globo, que visa avaliar a capacidade de leitura, matemática e alfabetização em ciências de estudantes na faixa dos 15 anos de idade.

Realizado a cada três anos, iniciou-se no ano de 2000. O principal eixo de estudo está entre a leitura, matemática e ciências e inclui algumas competências, como a resolução de problemas e postura colaborativa entre os estudantes.

Em resumo, podemos conceituar o que é PISA pelo processo avaliativo que verifica as habilidades adquiridas pelos indivíduos quando se aproximam da reta final do ensino obrigatório. Seu órgão de aplicação, a OCDE, é uma organização intergovernamental, conduzido nos Estados Unidos.

Como ele funciona?

Como citado neste texto, o PISA é aplicado a cada três anos para avaliar os estudantes. A idade escolhida, 15 anos, foi determinada considerando que, em vários países de aplicação, existe a possibilidade de os jovens dessa faixa etária escolherem se vão continuar os estudos ou não. Assim, é possível avaliar se estão aptos para seguir a vida adulta caso decidam parar.

Nesse contexto, a avaliação é projetada para verificar o domínio desses alunos em relação a assuntos-chave em leitura, matemática e ciências, medindo sua preparação para as situações nas quais vão se deparar fora da escola.

Os resultados são publicados após um ano da sua realização e ajudam o governo a melhorar suas políticas educacionais.

Quais os principais objetivos?

O principal objetivo do Programa Internacional de Avaliação de Alunos é apresentar indicadores para que os governos possam promover melhorias relacionadas à educação do Ensino Básico em seus países. Sendo assim, as avaliações funcionam como um demonstrativo dos seus processos de capacitação para que esses estudantes possam exercer a cidadania na vida adulta.

A meta da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico é identificar como esses indivíduos reproduzem e aplicam o conhecimento adquirido em situações dentro e fora da sala de aula.

No entanto, a cada ciclo, o PISA verifica outras habilidades. O exame aplicado em 2015, por exemplo, buscou compreender também a saúde mental dos estudantes, incluindo uma seção sobre o bem-estar estudantil. Assim, tomou conhecimento das projeções desses indivíduos para o futuro, capacidade de socialização e satisfação com a vida, medindo a motivação e ansiedade dos jovens.

Os resultados provenientes dos objetivos centrais e paralelos de cada ciclo de testes transformaram o PISA em uma referência mundial em avaliação educacional. A entidade reúne mais de 30 países entre membros e convidados, buscando a equidade na educação global.

Qual o método de avaliação?

Para avaliar os saberes adquiridos e as habilidades dos estudantes, o PISA pretende:

  • verificar a preparação dos estudantes em relação aos conteúdos de cada área do exame;
  • estabelecer o nível de competência para aplicação de cada conhecimento na vida escolar e no cotidiano;
  • atestar se há um entendimento sobre o contexto em que cada conhecimento e competência deve ser aplicado.

Sendo assim, conheça agora mesmo como é avaliada cada área do conhecimento!

Leitura

Aqui, o estudante é estimulado a interagir com diferentes gêneros textuais, como listas e documentos. O processo busca avaliar a compreensão dos enunciados, a interpretação de texto e a capacidade de se refletir sobre os conteúdos.

Matemática

A prova de matemática traz deste as operações básicas até mesmo as mais complexas. Estimativa, mudança e crescimento, espaço e forma, raciocínio quantitativo, incerteza, dependências e relações são algumas das muitas áreas em que se verifica o domínio do estudante sobre os conteúdos.

Além disso, a avaliação procura atestar se os indivíduos compreendem como aplicar a matemática dentro de contextos locais, regionais e globais.

Ciências

Para a área de ciências, verificam-se conceitos e habilidades. O reconhecimento e explicação de questões científicas, percepção de evidências, conclusões baseadas em dados científicos e interpretação dessas conclusões são alguns dos pontos avaliados.

Quais os últimos resultados do Brasil?

As últimas avaliações foram aplicadas em 2015 e 2018. No ano passado, foram mais de 80 países e meio milhão de estudantes que tiveram os conhecimentos com foco em leitura testados. O resultado será divulgado dia 3 de dezembro de 2019.

em 2015, foram 70 países participantes. O Brasil não entra como país membro da Organização, mas sim uma economia parceira. A prova teve duas horas de duração e foi aplicada no computador. Ao final do processo, nosso país ocupou as seguintes posições no ranking:

  • 63ª posição em ciências;
  • 59ª posição em leitura;
  • 66ª posição em matemática.

Entre os métodos utilizados para medir a avaliação, estão os balanços regionais. Nesse contexto, a Região Sul do Brasil foi a que apresentou o melhor desempenho geral. Em segundo lugar, ficou a Região Centro-Oeste com as maiores notas em matemática e ciências. Já em leitura, os estudantes do Sudeste demonstraram um melhor domínio sobre a área.

A Região Nordeste foi a que apresentou os índices mais baixos nas áreas avaliadas. Entretanto, quando se analisa os resultados separadamente por estado, o Sergipe fica entre os destaques nas três esferas.

Agora que você sabe o que é PISA, pode utilizar esses dados com segurança ao estudar e discutir sobre a qualidade da Educação Básica no Brasil em relação a diversos outros países do mundo. Assim, é possível continuar dando o melhor de si na hora de ensinar os jovens e contribuir efetivamente para a elevação dos processos de ensino e aprendizagem do nosso país.

Gostou do nosso artigo e quer continuar por dentro de informações tão relevantes quanto as que foram apresentadas? Curta a nossa página no Facebook e fique por dentro!

Receba mais notícias como essa diretamente em seu email!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *